Realengo traz Suzane Richthofen de volta

Pois é, infelizmente essas coisas acontecem muito comumente: Wellington, Realengo, assassinato de doze crianças, Suzane, morte dos pais dela. E, muitas pessoas tem perguntado sobre Suzane e fazendo comparações: Wellington pelo menos assumiu tudo o que fez, deixou documentos explicativos, e Suzane? Ela foi uma das autoras do assassinato de seus pais, com apenas 19 anos. Não é tão incomum como muitos imaginam coisas desse tipo acontecerem.

Os jovens não sabem, emocionalmente, lidar com os limites e com as frustrações. É uma situação em que a pessoa é dominada pelos seus desejos, e a sociedade que estimula a satisfação imediata das satisfações é sua parceira. Vivemos para satisfazer nossos desejos. É consumismo material e psíquico.

Suzane disse que ajudada pelo namorado, matou por amor, pois os pais não gostavam do namorado desta e eram contra a relação de ambos. E, a jovem não sabendo se saindo de casa conseguiria ter o mesmo padrão de vida, resolveu assassinar os pais. É sempre a imaturidade emocional, que faz com que moças-mulheres façam birra como crianças que querem, por que querem um brinquedo, sem saberem se os pais o podem dá-lo. Esses jovens agem com a irresponsabilidade de uma criança, mas com o cérebro de um adulto e toda a falta de indulgência destes.

Na atualidade temos nos defrontado com a dificuldade dos professores de colocarem limites nas suas aulas, com a arrogância e com o desrespeito dos jovens, uso de drogas, álcool. E, em reuniões de escola percebe-se esse padrão: os pais acham que a escola é que tem que fazer o papel da educação e não eles. Esses pais também não amadureceram, pois como psicanalista posso lhes garantir que sem um tratamento psicanalítico, as pessoas não amadurecem mais do que cinco anos de idade, no máximo.

E, crianças e adolescentes ficam “órfãos de educação e de bom senso”, e Suzane não soube aguentar a intolerância de frustrações e limites. Teria sido melhor se Suzane saísse de casa, enfrentando a vida com todos os limites que esta nova situação lhe imporia. Estaria crescendo e se enriquecendo por dentro. Ou aceito o que seus pais diziam e ter analisado melhor a situação. Ela age como uma criança indefesa ao precisar da aprovação dos pais e como adulta impiedosa ao planejar o assassinato.

É uma pena que os pais não saibam lidar com determinadas situações: por vezes não conseguem “mesmo”, mas boas conversas, muito carinho, muito conhecimento do emocional, a procura de ajuda com especialistas, faz toda a diferença.

A tecnologia atual, com todas as suas consequências, também é uma ótima amiga dessas crianças e adolescentes que crescem alienados do mundo de pensar, de sentir, de buscar ajuda com os mais velhos e experientes. Não conseguem mais parar quietos e focados num só tema. São muitos estímulos ao mesmo tempo.

A sociedade atual está muito presa no ter e deixou de lado o saber: saber conter, saber conversar, saber analisar, saber discernir, saber se é hora.
Isso sempre existiu na humanidade, apenas agora tem mais peso por causa da divulgação pela imprensa falada, escrita, televisada.

Aprendam Psicanálise e não acreditarão no número e na qualidade das informações que serão obtidas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.